Escola Associada | UNESCO

Mensagem de Audrey Azoulay, Diretora-Geral da UNESCO | Dia Internacional para a Eliminação da Discriminação Racial | 21 de março de 2021

A COVID-19 tem tido consequências devastadoras para as populações de todo o mundo, mudando a forma como vivemos, trabalhamos e socializamos. Contudo, embora todos sejamos vulneráveis a esta doença, alguns são mais vulneráveis do que outros. Entre as minorias raciais e étnicas, por exemplo, a pandemia está a ter um custo desproporcionalmente elevado. Para resolver esta situação, em dezembro de 2020, a UNESCO adotou o Apelo Mundial contra o Racismo. Salientando que "a pandemia de COVID-19 desencadeou, por sua vez, uma perigosa pandemia de desinformação, discurso de ódio e violência contra certas etnias ou nacionalidades", este apelo enfatiza a necessidade urgente de combater o racismo e a discriminação que continuam a atormentar as nossas sociedades. No momento atual, em que as vacinas oferecem uma nova esperança para o futuro, devemos não só permanecer firmes nos nossos discursos e convicções, mas também transformar as nossas palavras em atos No momento atual, em que as vacinas oferecem uma nova esperança para o futuro, devemos não só permanecer firmes nos nossos discursos e convicções, mas também transformar as nossas palavras em atos. Por este motivo, neste Dia Internacional, a UNESCO exorta a humanidade a defender a justiça social e a igualdade, e a atender ao apelo contra o racismo e a discriminação, tendo em vista a construção de uma sociedade mais inclusiva e tolerante - uma sociedade livre de todas as formas de violência. No entanto, não podemos fazer isto sozinhos. Este esforço mundial depende do empenho dos governos, da sociedade civil, das comunidades académicas e científicas, do setor empresarial, das partes interessadas e das organizações internacionais. No entanto, não podemos fazer isto sozinhos. Este esforço mundial depende do empenho dos governos, da sociedade civil, das comunidades académicas e científicas, do setor empresarial, das partes interessadas e das organizações internacionais.

Ler mais...

Mensagem da Diretora-Geral da UNESCO | Dia Internacional para a Eliminação da Violência contra as Mulheres

Num momento em que o mundo enfrenta uma crise sanitária, económica e social sem precedentes, não devemos esquecer que a pandemia de Covid-19 se sobrepõe a uma "pandemia de sombras", a da violência contra raparigas e mulheres. Antes da pandemia, estimava-se que, todos os anos, 243 milhões de mulheres e raparigas entre os 15 e os 49 anos de idade eram vítimas de violência física ou sexual perpetradas por um membro da sua família imediata. Infelizmente, é provável que este número aumente, uma vez que muitas raparigas e mulheres tiveram de ser confinadas com os seus agressores. Segundo dados disponíveis em muitos países, a violência doméstica já aumentou, em média, 30%. As raparigas também parecem estar numa situação de risco muito elevado: de acordo com a ONG Save the Children, poderá haver mais um milhão de gravidezes forçadas em 2020, e mais dois milhões de mutilações genitais nos próximos 10 anos. Contudo, esta violência não é apenas física: é também económica e social. Está, ao mesmo tempo, a ramificar-se cada vez mais online, tomando nomeadamente a forma de assédio sexual nas plataformas e redes. Todas estas formas de violência vêm de longe: estão enraizadas nas mentalidades e nas desigualdades sistémicas de género.

Ler mais...

Diretora-Geral da UNESCO | Dia Internacional para a Erradicação da Pobreza

"A pobreza é mais do que privação, é servidão", escreveu o filósofo suíço Henri-Frédéric Amiel.

Este pensamento recorda-nos que, fundamentalmente, a pobreza é um atentado à dignidade humana e aos nossos valores humanistas. A pobreza provoca sofrimento e privação, impede o gozo efetivo dos direitos e das liberdades fundamentais, e afeta ainda mais intensamente os mais vulneráveis, em particular as mulheres e as crianças. Embora a taxa de pobreza extrema tenha diminuído entre 1990 e 2015 como resultado dos esforços consideráveis envidados a nível mundial, temos agora de nos mobilizar para mantermos esta tendência - pois devido às consequências económicas e sociais da pandemia de COVID-19, existe o risco de inversão desta dinâmica.

Ler mais...

Mensagem de Audrey Azoulay, Diretora-Geral da UNESCO | Dia Internacional da Educação

Neste dia Internacional, celebramos o poder considerável da educação para agir em favor dos “4 P” dos quais depende o nosso futuro: agir para as pessoas, para a prosperidade, para o planeta e para a paz. Este dia representa assim uma oportunidade para recordarmos que a educação é um recurso valioso para a humanidade; mas é também um recurso demasiado escasso para milhões de pessoas em todo o mundo. A crise mundial da aprendizagem, que os dados do Instituto de Estatística da UNESCO confirmaram, deve ser um motivo de preocupação maior. De facto, uma crise da aprendizagem é também uma crise para a prosperidade, para o planeta, para a paz e para as pessoas, pois a educação é a chave de todos os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. A UNESCO, que desempenha um papel de coordenação da ação da comunidade internacional para alcançar o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável número 4 “Uma educação de qualidade para todos”, tem uma responsabilidade acrescida nesta matéria. Por este motivo, estamos a agir em prol de cada um destes “4P”.

Ler mais...